Saiba mais

AS PRÓTESES


A prótese não cimentada é formada por um componente femural não cimentado e um componente acetabular não cimentado, ambos colocados após a preparação óssea que irá permitir o justo encaixe dos componentes.

A prótese total cimentada é formada por um componente acetabular cimentado e um componente femural cimentado, ambos com a utilização de cimento de alta viscosidade e técnica de cimentação com pressurização acetabular e femural. Após a pressurização ideal, os componentes são adequadamente posicionados no fêmur e no acetábulo.

A prótese total híbrida é formada por um componente acetabular não cimentado e um componente femural cimentado, ambos colocados com suas respectivas técnicas cirúrgicas.

Em relação aos materiais empregados na superfície protética articular, o maior objetivo é a durabilidade da cirurgia, isto é, o menor desgaste dos componentes da prótese diminuindo a necessidade de revisão cirúrgica.

Já existe atualmente superfícies de contato de grande durabilidade, como a cerâmica, o polietileno crosslink e metal. Todos já em utilização e com comprovação científica, baseada em trabalhos, sobre a maior resistência ao desgaste e maior longevidade no procedimento.
.
.

.

Qual a diferença de material a ser utilizado?

Os materiais existentes para a prótese são os mesmos, mas com a avaliação de um especialista pode-se chegar ao ideal para cada idade. Pacientes entre 45 e 65 anos, que praticam atividades leves e moderadas, geralmente utilizam a prótese com cabeça metálica e implante de polietileno reticulado por ter mais resistência. Já o indicado para pacientes com idade entre 65 e 70 anos é a prótese com cabeça metálica e implante de polietileno convencional, desde que as atividades sejam mais restritas.

Quais os tipos de prótese

De forma simplificada, as próteses estão divididas em total cimentada, total híbrida e total não cimentada.

Qual a durabilidade da cirurgia?

A durabilidade de uma prótese depende dos materiais empregados, da técnica cirúrgica, do nível de atividade física e disciplina do paciente e da reação biológica dos tecidos que varia enormemente entre as pessoas. Os implantes disponíveis em nosso país, sejam eles de origem nacional ou importada, têm um grau variável de qualidade, mas em geral são bons. Opções de alta tecnologia ainda são extremamente onerosas dentro de nossa realidade.

Qual a durabilidade de uma prótese de quadril

A medicina evoluiu muito e calcula-se uma média de 20 anos para a prótese de quadril. Só que claro, essa durabilidade conta com a ajuda do próprio paciente que deve cuidar com exercícios de alto impacto, excesso de peso e atividades que coloquem a saúde do quadril em risco.

.

.

Artrose de Quadril

Pacientes com artrose de quadril queixam-se principalmente de dor localizada e contínua na região do quadril acometido pela doença, podendo se irradiar para o joelho e face interna da coxa.

Dr. Rodrigo Monari - Ortopedista e Traumatogista | 2017